Costa da caparica

Feriado...bom tempo...fui mais a minha mulher à Costa, ter com os meus pais que lá estavam com o meu filho.

Decidimos ir de transportes. Sem horário fomos de carro (shame on us) até à estação fluvial de Belém, pois a Cris está grávida e não quer pedalar (cada um tem a sua desculpa).
Chegámos lá às 10h37m e não havia nenhum barco. Fui ver ao horário e reparei que o último teria saído às 10h30m e que o próximo seria às.......12h00m!!!

Sim meio-dia! hora e meia depois!!

Que rica aposta nos transportes....enquanto isso, a ponte está pejada de carros!!

Mas havia uma grande berraria na estação. Dois idosos e outro grupo reclamavam. O que tinha acontecido: afinal o barco das 10h30m nem sequer tinha aparecido! Sendo assim, houve um barco às 9h30m e haveria outro ao meio-dia!! Mas o que é isto?

Em conversa, os senhores já tinham tentado andar de barco no fim-de-semana e aconteceu o mesmo, um barco não se dignou a aparecer. Lá fizeram a reclamação e aceitaram a nossa oferta de boleia. Fomos todos de carro (ao menos não ia vazio) até à outra margem.

Quando lá chegámos fomos estacionar num local a apenas 200 metros da praia, com bastantes locais legais de estacionamento. A zona perto da praia era o que se via:


Entretanto, no "molhe" da praia a imagem era esta:



Eram bicicletas aos magotes. Senhores da Costa Polis, é preciso mais algum sinalito para que prevejam a construção de zonas de estacionamento de bicicletas???

A contrução do parque urbano a caminho da praia é um bom exemplo do que pode ser feito em portugal. A Costa está a ficar com excelentes condições para ciclistas.


As famílias da Costa utilizam a bicicleta aos fins-de-semana. Na foto em cima um tandem com cadeirinha de bébé, e uma bicicleta de um puto de 6 ou 7 anos (encostados à árvore a pisar plantas recém-plantadas...havia estacionamento para bicicletas perto...).

Vi também uma bicicleta de um surfista com umas aplicações para levar a prancha, e eis mais uma família a pedalar....



Existem bastantes zonas cicláveis e parecem apostar nas ciclovias...é sabido que é preferível apostar na educação rodoviária e reclamar a via pública como faixa de circulação prioritária para bicicletas do que contruir vias que dão uma sensação falsa de segurança, mas cada passo é melhor do que estar parado.

Neste caso, a via reservada ao ciclista e o passeio são maiores do que a estrada paralela reservada a latas.....vamos ganhando espaço na cidade.

(A ver é se não começam a estacionar em cima do passeio!)


2 comentários:

alfacinha disse...

A respeito das vias reservado para os ciclistas quero sublinhar que ainda faltam demasiadas dessas vias, apesar a intenção boa do município para começar construir vias na Costa da Caparica fica perigoso de andar de bicicletas. Como belga, falo numa posição privilegiada para que na Bélgica possa atravessar inteiramente o país pelas vias reservadas para os ciclistas e apesar disso ocorreram regularmente acidentes mortais. Gostaria a atravessar de bicicleta esta lindíssima terra de Portugal, mas até agora não o atreve. Então a sua pedida para lugares de estacionamento merece com certeza absoluta a atenção do município mas espero também que você defende a necessidade construir vias suficientes. Cumprimentos de Antuérpia.
http://blog.seniorennet.be/lisboa

Gonças disse...

Boas, Alfacinha, tudo bem?
Eu sou, por princípio, a favor da promoção da utilização de bicicletas. Quer seja para lazer, turismo, transporte do dia-a-dia, trabalho, transporte de material, etc.. Essa promoção passa também pela defesa da segurança dos ciclistas. A existência de ciclovias não implica uma maior segurança, como indica que existem acidentes mortais nas mesmas. Pode ser mais agradável, simpático, etc., mas nos cruzamentos com vias automóveis implicam maior atenção. Em zonas onde o tráfego automóvel circula a uma velocidade grande, em ligações entre cidades, etc., talvez seja mais justificável do que dentro de uma cidade. Ter uma rede ciclável que atravessasse o país era uma maravilha, mas também numa primeira fase seria utópico! Se temos uma rede de estradas que cobre uma grande parte do país, se as bicicletas estão habilitadas para circular na estrada......porque não penalizar quem causa essas mortes e CULTIVAR a utilização da bicicleta?? Quantas mais bicicletas circularem nas estradas, mais cientes da redução da velocidade, atenção na condução terão os condutores automóveis.
Obrigado pelo comentário.
Um abraço
GPais