Massa Crítica de Agosto

Fui à MC de Sexta-feira passada. Éramos poucos por volta das 18h, mas quando partimos, quase uma hora depois, compúnhamos uma caravana de 30 pessoas e 29 biclas!


Démos as 3 voltas ào Marquês da ordem, seguímos para o Rato, descemos a Rua de S. Bento onde parámos nas escadarias para tirar uma foto. Descemos por portas e travessas até Santos e seguímos pela 24 de Julho até Belém, e acabámos nos pastéis. No fim foi festa, conversa e gula!

De salutar o espírito descontraído, simpático e divertido do grupo e as conversas que se podem ter no trânsito de Lisboa em cima de uma bicicleta! Acho que é, principalmente, por causa disto que vou à MC (para além de engrossar as fileiras de activistas pró-biclas e reencontrar amigos).



Durante o percurso deu tempo de registar dois comentários engraçados de pessoal dos carros:
"Vocês não têm mais nada para fazer?" - para além do quê? andar de bicla? (con)viver?

"Fazer os vossos pneus também polui! Se querem ser ecologistas andem a pé!" - no comments


-------------


A próxima (25 Setembro) é o 6º aniversário, vai haver (mais) festa no fim!! APAREÇAM!







Arrumar as sementes

Tenho estado a juntar uma boa remessa de sementes próprias. Não tenho pachorra é de as catalogar todas, e chega a um ponto que o reconhecimento visual das sementes e a minha memória de galinha tornam o processo de plantio complicado!

Mas encontrei uma coisa porreira na net para fazer e tê-las mais organizadas: é tipo ORIGAMI pré-impresso para pacotes ehehe!


Paulo Coelho

"É uma forma de comemorar 62 anos: Paulo Coelho vai distribuir três livros inéditos gratuitamente no seu blogue oficial.A oferta foi anunciada no Twitter do escritor, noticia o Expresso.

Os livros disponibilizados são O Caminho do Arco, Histórias para os pais, filhos e netos e Guerreiros da Luz. As obras estão disponíveis em diversos idiomas e Paulo Coelho diz que não vai vender os direitos nos próximos dois anos.
Pode descarregar os livros em vários formatos a partir do blogue oficial de Paulo Coelho."

Mike: estão lá os três volumes do "Guerreiro da Luz"!! Os outros ainda não li!

Abraço

outro porquê...

Porque é que as pessoas quando querem entrar no comboio ficam especadas à porta?

Mesmo sabendo que para entrarem têm de deixar a malta que está lá dentro saia, ficam ali coladas à porta! Até nas estações terminais...onde o comboio ainda vai tardar a sair!

????

PICNIC em 2 rodas




No sábado passado juntámo-nos em Algés a meio da manhã.




Partimos em direcção a Miraflores, subimos o viaduto até à Portela, Alfragide, contornámos o parque de campismo, subimos até Montes Claros e estávamos no parque Keil do Amaral para curtir um picnicão:


Uns batidos a pedal calham sempre bem!

Tivémos companhia de vespas comedoras de carne! A solução foi servir-lhes um prato para nos largarem!

À falta do PIVO o Hernâni servui-nos uns espressos à la bomba de ar!Não era a dinheiro, mas viciámo-nos em Poker!
A última actualização na TimberlinaX...o rabiosque agradece!







O medo que não nos deixa "pensar"!

Não sei se conhecem o relatorio Mobqua - Mobilidade nos bairros?.
Apresentado em Março de 2008, co-financiado pela UE, envolveu para além do município de Lx, outros municípios em Espanha e Itália. A ideia patente é a da promoção a mobilidade e modos suaves nos bairros (deslocações de curta distância) e vocacionado para alguns segmentos da população (estudantes e respectivos acompanhantes, residentes e visitantes por motivos de lazer ou comércio).
Foram apresentados projectos de deslocação para a escola a pé (PEDIBUS), estímulo da economia de proximidade através de programas de compras a pé em lojas de bairro (PEDISHOPPING) e de promoção da utilização da bicicleta para ir e vir da escola.
O relatório apresenta as várias fases de estudo, implementação e avaliação dos projectos nos vários municípios. Mas no projecto que envolve bicicletas, o exemplo português é aquele que não segue em frente pois os professores das escolas a quem foi proposto colaborar acharam que não era "seguro" colocar as crianças a pedalar para a escola. Foi-lhes proposta a aquisição de bicicletas para que se pudes dar formação prática (sobre técnicas de condução segura, assegurada pela FPCUB) aos alunos, o que foi recusada pois só achavam seguro se existissem vias segregadas da via automóvel, de preferência no passeio. O relatório está escrito em Francês e fala em "peur psychologique, car non réelle" (medo psicológico, logo não real [creio ser esta a tradução]).
Na introdução do projecto de promoção da bicicleta em meio urbano, o relatório refere e bem os 4 constragimentos mais comuns a esta medida, resultantes de um inquérito feito a nível europeu "Villes cyclabes, villes d'avenir" pela Comissão Europeia em 200 e que são:
1) a segurança do utilizador na via (sensação de segurança)
2) a segurança da bicicleta (contra roubos)
3) o interesse do utilizador (existência ou não de uma infrastrutura atractiva)
4) o estatuto ou status (questão levantada sobretudo nos países do sul da Europa)
Na questão número 1 (aquela que levou ao chumbo prematuro do projecto de biclas em Lx) os planeadores chegaram à conclusão que existem duas variáveis que influenciam a sensação de segurança do ciclística: a densidade e o diferencial de velocidade.
A primeira é facilmente verificável numa massa crítica, por exemplo, onde um número elevado de ciclistas permitem que se circule à vontade por ruas movimentadas, vistas por um ciclista isolado como potencialmente perigosas. Neste exemplo do CAX, uma via anteriomente Link"densamente" povoada por ciclistas obrigava a uma circulação comedida por parte dos automobilistas que partilhavam essa mesma via. Após a criação da ciclovia que segregou a circulação dos ciclistas, os automóveis passam agora bem mais rápido!
A segunda tem a ver com a velocidade média de circulação automóvel numa via. Em bairros com bastante mobiliário urbano, circulação pedonal, àrvores, etc., existe um factor psicológico de acalmia de tráfego (que podia ser induzido por um desenho urbano vocacionado para tal). Nas vias onde a velocidade média de um automóvel não ultrapassa o dobro da velocidade média de uma bicicleta, não existe a necessidade de segregar da circulação de velocípedes em oposição das vias com velocidades médias superiores.
O mesmo projecto no município Espanhol de Pycania avançou pois houve uma análise objectiva e profissional do risco e acreditou-se que é com educação e inclusão de bons hábitos que se derrubam certos males.
A sabedoria popular portuguesa tem 2 ditados contraditórios: "O seguro morreu de velho" e "Quem não arrisca não petisca". Isto faz-me pensar se o facto de em Portugal a maioria dos projectos de promoção da utilização da bicicleta não avançarem por causa deste "medo psicológico" será precaução ou histeria??
Lembrei-me deste post após seguir este link a partir do blog menos um carro...
----
p.s.: não consigo encontrar uma versão on-line do relatório para download. Quando o encontrar ou se alguém mo arranjar coloco aqui...
p.s.2: os restantes constragimentos podem servir de "mote" para futuros posts...

Porquê?

Porque é que há tanta gente (balconistas) a colocar mal o cartão do MB na ranhura para cartões com chip ?? Basta ver onde está o chip e é esse lado que tem de entrar na máquina!!!

Já ouvi dizer que pagar com chip demora mais tempo do que utilizando a banda magnética, mas para isso bastava passar logo com a banda, não? Às tantas põem mal o cartão para obrigar o terminal de pagamento electrónico a pedir para passar a banda...será?

O livro dos porquês...

Quando era pequeno tinha um livro que se chamava "O livro dos porquês" que me tirava montes de dúvidas.


Quero agora inaugurar um espacinho lúdico neste modesto blog onde coloco as carradas de questões que coloco a mim mesmo diariamente mas que ficam aqui a chocalhar entre o Tico e o Teco. Isto para quê? pode ser que alguma alma caridosa me ilumine e me dê a famigerada resposta, ou uma aproximação!! Boa? bora nessa...

bikybiky, picnic e umas rapidinhas...


Na semana passada encomendei um bikybiky via o site da marca. Por enquanto está todo em Holandês, o que é facílimo de ler (not). Aliás fiquei a saber que o bikybiky é um excelente fietsen zonder zijwieltjes! Espectáculo! Anyway, preenchi os campos e pelos vistos não me enganei pois não tarda estava a receber um email com uma factura em PDF e os dados do banco para lhes pagar. Perguntei-lhes de volta se tinham uma conta paypal para simplificar o processo e poupar-me umas despesas extras com o banco ao qual me dizem: "Ainda não, mas olha: como és a primeira encomenda de Portugal a malta envia-te gratuitamente. Diverte-te com ele e passa a palavra!" UHU!

Comentei isto com um colega novo, rematando "É uma maneira completamente diferente de se fazer negócios!". Resposta pronta do jóia: "YA! Tansos...". Hum...pois...certo...não admira...

Anyway, anyhow, estou à espera da cartinha dos correios para ir levantar o colete e tirar as rodinhas ao Gugas sem massacrar as minhas costas!

Existem montes de maneiras para ensinar as crianças a pedalar, nomeadamente tirar os pedais (desde que cheguem bem ao chão, imitando as "likeabike"), segurar a bicla no assento (desgraçadas das costas), ou mais lentamente ir retirando as rodinhas de segurança...

Era uma boa irem relatando as vossas experiências com a aprendizagem da arte do pedal no fórum da ciclo-via.org!! Força

----

No próximo sábado (22 de Agosto) vamos realizar um picnic da ciclo-via.org. Quem quiser pode aparecer, para confratenizar com a malta....

----

Aqui vão mais umas rapidinhas, baseadas neste excelente blog que é o COPENHAGENIZE:

Curtam esta mostra de triciclos transformados em vending machines...um sonho antigo meu!

----

Que tal uma BD de um Australiano de Brisbane que fez uma comparação do seu percurso casa/trabalho e vice-versa, de bicla e de transportes. No fundo das tiras tem até um link para as tabelas que criou e tudo...

----

(Mais) um excelente artigo sobre a histeria do capacete...mostrando uma proposta de capacete para automobilistas pois se formos ver as estatísticas há "muta" cabeçada dentro do carro em caso de acidente! eheheh

BIDEGORRI

O Governo Basco e o Ayuntamento de S. Sebastian inauguraram um BIDEGORRI (túnel para biclas), o maior túnel urbano para bicicletas da Europa. Muito BIKE.
Já fiz a costa basca de uma ponta à outra e digo-vos que aquilo é muito montanhoso (e chuvoso).




Mas não era por causa disso que deixei de ver e de me surpreender pela quantidade de pessoas a pedalar e a caminhar pelas estradas da costa.



Este bidegorri foi criado num antigo túnel de "topo" (a julgar pela intensa actividade mineira que verifiquei por lá não me admirava que fosse um pequeno comboio ora de carga, ora de passageiros) chamado Morlans.



Esta obra foi feita com o objectivo de melhorar o "commuting" (trajecto casa/trabalho), mas poderá beneficiar os ciclistas de recreio ao fim-de-semana.

NOTAM aqui alguma diferença em relação ao que é feito em Lisboa?? é exactamente o oposto! (não sou contra infrastruturas de lazer/turismo para bicicletas, mas quando são as únicas a serem construídas e quando a "amortização" das mesmas é menor, cheira a injustiça).

Checkem a notícia na íntegra no Diário Vasco, com fotos muito boas e um fórum de discussão.

Living car-free

Aconselho a leitura do testemunho deste americano que vive há 7 anos sem carro. A maneira como começou, as dificuldades e os avanços e em especial o sentimento que tem ao pegar na bicla é um pouco como o que me está a acontecer. Quem me conhece sabe o gosto que tenho em andar de mota, mas ela vai estando parada às semanas e por vezes meses. Gosto de conduzir, mas fazer o percurso trabalho-casa é cansativo para não dizer "parvo". Ir de bicicleta, dá-nos tempo para acalmar, pensar, ler, ouvir música com atenção, dormir, reparar na cidade, nas pessoas, sentir o tempo, etc..
----
O Copenhagenize mostra-nos uma campanha contra a histeria do capacete que está a começar tb a afectar a Dinamarca. Segundo esta campanha, os peões têm um risco maior do que os ciclistas em ter um traumatismo craneano por isso propõe em tom irónico que se use o capacete em todas as ocasiões. (o ciclista nem tem que tirar e por o carolo ao sair da bicla!).
----
A malta da SIC está a começar a andar de bicla para o trabalho. Ainda têm algumas pre-concepções de quem não costuma andar no dia-a-dia, mas têm uma vontade enorme e estão a conseguir pôr a malta a pedalar e isso vale por tudo o resto!
Parabéns.